História do Budismo

oshakasama

Sidharta Gautama foi um príncipe que nasceu no norte da Índia, há mais de 2.500 anos, no reino de Sákya. Após passar sua infância e juventude nos limites de seu palácio, protegido das ameaças do mundo exterior, o jovem Sidharta aventura-se num passeio além dos muros que o cercavam e conhece o sofrimento humano. Primeiro encontra uma pessoa doente, depois uma pessoa idosa, por fim uma pessoa morta, cercada por outras se lamentando. Nesse momento Sidharta toma contato com a realidade de que a vida traz uma série de momentos em que se sofre. No quarto e último encontro, Sidharta vê um monge e chama-lhe a atenção seu aspecto sereno e sua conduta firme, mesmo vivendo em meio a esse mundo que tanto sofrimento oferece.

Sidharta então decide abandonar a vida que levava até então e, deixando o palácio, adentra na floresta, despojado de todos seus bens materiais e rompendo suas ligações familiares, decidido a encontrar uma solução para o problema do sofrimento.
Após alguns anos dedicando-se a práticas ascéticas que o fizeram adoecer, Sidharta descobre que a via do conhecimento está no Caminho do Meio: nem ceder ilimitadamente aos desejos, nem torturar o corpo e a mente. Abandona as práticas que realizou até então e, firmemente decidido, senta-se sob uma figueira, em meditação, decidido a não levantar dali até que resolvesse a questão da vida e da morte.
Durante sete dias e sete noites Sidharta permaneceu em meditação, até que na manhã do oitavo dia, ao surgir a estrela da manhã, subitamente iluminou-se, despertando para a realidade de todas as coisas. Nesse momento declarou: “Eu, a grande Terra e todos os seres somos o Caminho.”

A partir de então, tornou-se conhecido por Budha Shakiamuni: Budha, em sânscrito, significa “o desperto” e Shakiamuni significa “o sábio do clã dos Sákias”, referência a seu local de origem. Por 80 anos Buda Shakiamuni ensinou o Caminho que leva à libertação do sofrimento. Desde então esse ensinamento é passado de mestre a discípulo, chegando até os dias atuais.